• Olive Clinic

Acha que come mais durante o confinamento?

Estar confinado não faz parte da natureza humana. A falta de interação social e o manter-se em espaço fechado não são preferências normais da maioria de nós. É, por isso, normal que o nosso cérebro exacerbe outros estímulos de modo a compensar a liberdade física que nos falta. Para além disto, a ansiedade na incerteza futura e os receios associados à execução de tarefas ditas "normais", como ir às compras, pode levar também a um aumento do consumo diário de comida. Normalmente, este consumo extra não significa comer mais sopa ou aumentar o tamanho das porções de legumes ao jantar, mas sim a snacks pouco saudáveis como bolachas, salgados e doces.


No momento de escolher o que vai comer, escolha com razão e para isso deixamos algumas dicas partilhadas pela nutricionista Dra. Ana Catarina Martins:

  • Elabore uma lista antes de ir às compras e esforce-se adquirir apenas os produtos que listou;

  • Não compre alimentos calóricos, ricos em gordura e em açúcares - Longe da vista, longe do coração!

  • Tente praticar exercício físico, mesmo dentro de casa, e beba água ou infusões sem açúcar para se manter ativo e hidratado;

  • Seja na janela, varanda ou jardim, apanhe sol durante alguns minutos por dia. A exposição solar é a melhor forma de repormos os níveis de vitamina D;

  • Sempre que possível, mantenha rotinas tanto para a alimentação, como para as atividades e o sono. Somos seres de hábitos e as rotinas são de extrema importância para o bom regulamento do nosso funcionamento.

Sabemos que passamos por uma fase temporária, apesar de não sabermos quando será o fim dela. Por isso, como seres capazes de se ajustar, vamos aproveitar o que temos e aprender a viver de acordo. Muito em breve teremos a possibilidade de voltar a alguma normalidade.


Olive Clinic - A pensar em si.

1 visualização0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo